segunda-feira, 27 de julho de 2015

A minha aliada na cozinha


Esta é uma das minhas grandes ajudas na cozinha.
Assim que vi esta mandolina, na DeBorla, disse para mim que a tinha de trazer.
É fundamental e já não passo sem ela. 
Aliás, o local de destaque é mesmo na bancada, sempre pronta para ser usada. 
Por isso fiz questão de apresentá-la a vocês ;)


Podemos cortar de maneiras diferentes e tem uma caixa onde os alimentos caiem diretamente.
Para além é muito fácil de desmontar e lavar. Por isso está sempre pronta a usar.
Eu escolhi a mais simples, porque não senti necessidade de uma mandolina mais completa.
No entanto têm outros modelos à escolha.


É bastante eficaz, útil e super rápida.


Bons cozinhados!!!

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Relax, cheers & Gin!!!


Entrada para as férias em grande, na companhia deste fantástico gin.
Prenda de aniversário do maridão que recebeu dos nossos compadres e irmãos do coração.
Ficou à espera do momento certo para ser aberto.



O Gin Magellan é um Gin premium fabricado em Angeac na França. O seu nome é uma homenagem ao navegador português Fernão Magalhães (em espanhol Magellan) e às suas viagens às “ilhas das especiarias”.

O Gin Magellan é um Gin corajoso (como o foi Fernão Magalhães) na sua composição: O zimbro não é o ingrediente mais importante na sua produção! Ao contrário da maioria dos Gin que utilizam o zimbro como botânico principal da sua composição, o gin Magellan utiliza o cravinho – que foi exactamente a principal especiaria descoberta por Fernão Magalhães nas suas viagens às ilhas das especiarias.

Na casa do Magellan, o “Master destiller” começa a viagem na produção do gin Magellan, com a destilação de grão de trigo da região de Beauce Valley juntamente com a água mais pura da famosa região de Cognac. Essa água é naturalmente filtrada e desmineralizada para conseguir um sabor neutro e suave.

Na sua Elaboração o gin Magellan leva 11 botânicos diferentes, grande parte deles descobertos por Fernão Magalhães: casca de laranja, coentro, alcaçuz, canela, cássia, noz-moscada, cardamomo, grãos do paraíso, unha e flor e raiz da íris, todos eles devidamente selecionados na origem que ofereça mais garantia da sua qualidade, por exemplo, a canela é do sri Lanka, a cássia da Indochina, as laranjas do México, o cardamomo da India e a Iris de Itália.

O cuidado na sua produção leva a que o gin magellan seja destilado por quatro vezes em pequenos alambiques de construção artesanal, que captam cada um dos complexos sabores de cada botânico usado.

De seguida, o resultado das quatro destilações sofre uma infusão com as melhores flores de iris que dão ao gin Magellan um sabor único e a sua linda cor azul.


Gelamos o copo com 4 pedras de gelo. 
Coloca-se o gelo no interior do copo e roda-se até o vidro ficar embassiado 



Retirar o excesso de água
Colocar mais gelo.


Nesta primeira experiência usámos mirtilos e hortelã e resultou na perfeição.



Verter 50 ml de gin para 20 cl de Água Tónica Fever Tree Mediterranean
Com a ajuda da colher de bar verter a garrafa de Tónica, para que a mesma não perca o gás



Com a colher de bar quebrasse a barreira entre o Gin e a água tónica mexendo uma única vez


Carpe diem!!!

garrafeiranacional

terça-feira, 21 de julho de 2015

Granizado de gelatina de limão


Adoro granizados, principalmente em dias bem quentes.
Experimentei fazer com gelatina e fiquei fã.
E descobri esta da Royal com sabor a limão e adorei.
Podem fazer com qualquer gelatina e nesta podem adicionar um pouco de açucar amarelo ou mel.
Eu prefiro o meu sem açucar.

200g ou 2 copos de gelatina de limão
300g de gelo
sumo de 1 limão
sumo de 1 laranja


Juntar todos os ingredientes e triturar durante 1 minuto em turbo,
ou até o gelo estar completamente desfeito.

Depois é só descontrair e apreciar este refresco ;) 


Carpe Diem!!!

domingo, 19 de julho de 2015

Hamburguer no pão


Estou fã deste pão de chia. 
Desta vez acompanhei com hambúrguer e legumes salteados.
Ficaram muito saborosos.

Ingredientes para os hambúrgueres
250g de carne de novilho picada
1 cebola
4 dentes de alho
3 pedaços de tomate seco
6 cogumelos frescos
sal q.b.
ervas aromáticas a gosto - eu juntei alecrim e tomilho
com manjericão também fica muito bom


triturar tudo até ficar uma pasta
juntar à carne e misturar tudo 
formar bolas e achatar com as mãos

fritar com um pouco de azeite e 100 g de vinho branco

quando já estiverem prontos retire os hambúrgueres e reserve

adicionar 2 alhos francês cortados às rodelas finas, cogumelos frescos laminados
e um pouco de sal, na mesma frigideira e saltear

fazer as sandes ao vosso gosto 
  

Bom apetite!!!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Hamburguer indiano


Gosto muito mais de fazer os hamburgueres em casa. Peço ao talhante para picar a carne e em casa tempero ao meu gosto. Desta vez temperei com caril e ficaram deliciosos.
Acompanhei com arroz basmatti.

Ingredientes
250g de carne de novilho picada
2 c. sopa de caril
1 c. sopa de garam massalam
coentros picados q.b.
sal q.b.

misturar tudo, formar bolas e achatar com as mãos.
 fritar numa frigideira com bastante alho picado, azeite e uma folha de louro;
acrescentar 100g de vinho branco

também fica bom se acrescentarem um pacote de natas ou uma lata de leite de coco e deixarem apurar


Bom apetite!!!

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Panquecas de chocolate sem farinha


Quando passeava na cozinha da Maria João, do delicioso blog Ponto e Rebuçado, vi estas panquecas e tive de as fazer. Apetecia me chocolate e não tinha farinha. Perfeito!!!
Não tinha cacau e por isso usei chocolate em pó. A Bea é que não gostou muito que eu fosse tirar o queijo creme mas foi por um bom motivo ;)


Ingredientes
2 ovos
2 colheres de sopa de queijo fresco para barrar (tipo philadélphia)
1 colher de chá de fermento
1 pitada de canela
1 colher de sobremesa de chocolate em pó

já andava de olho numa destas e não resisti :D
adoro!!!!
são da DeBorla claro ;)

Confeção
Misture todos os ingredientes e bata até estar tudo misturado. 
Deixe repousar 5 min.
Aqueça uma frigideira antiaderente e deite umas colheradas da massa. 
"Rode" a frigideira para espalhar a massa e deixe cozinhar em lume baixo até a massa apresentar bolhinhas. Nessa altura, com a espátula, solte o rebordo e vire a panqueca, com cuidado. 
Faça o mesmo com a massa restante. 
Servi com iogurte natural magro.


e acompanhei com um batido
usei o pêssego que sobrou do iced tea e juntei um iogurte grego natural



Bom apetite!!!

Todos os artigos são da loja DeBorla, que está com coleções lindas <3
Aproveitem!!!

domingo, 12 de julho de 2015

Mazagran e memórias de uma infância

 

Esta é uma bebida que me faz recuar umas belas décadas até à minha terra, Viseu.
Todos os anos, assim que terminavam as aulas, lá ia eu, de autocarro, entregue ao motorista, passar as férias grandes, de verão, para casa dos meus avós maternos. Outras vezes iam os meus pais levar me.
Ficava ansiosa por esta altura do ano, pois adorava ir para lá. A casa era enorme, com um vasto jardim, com as roseiras lindas da minha avó e as belas hortenses. Tinha um lindo relvado com baloiços verdes de ferro. Eu adorava estar ali e ir para a figueira enorme tirar aqueles figos doces e deliciosos.
Lembro me que havia muitos incêndios e fazia muito calor. Tinhamos tardes mesmo muito quentes e a minha avó preparava o mazagran ou groselha e embora adorasse as duas bebidas, era o mazagran bem geladinho que refrescava. Depois fazia um pão com manteiga, açucar e canela que eu adorava.
Que saudades que eu tenho destes momentos. Que belas recordações eu guardo na memória, das minhas fantásticas férias em Viseu.


Refresco outrora muito consumido, pelo menos em Lisboa, feito de café frio, 
casca de limão, água lisa, ou gasosa, e açúcar.

Originário de França, alegadamente deve o nome ao da povoação argelina Mazagran, onde durante a conquista da Argélia pela França, entre 1830 e 1847, 123 soldados da Legião Estrangeira, cercados por 12.000 árabes, terão resistido alimentando-se desta bebida.


3 c. chá de café solúvel 
ou
1 chávena de chá de café forte
1 limão cortado às rodelas
sumo de meio limão
3 c. sopa de açucar amarelo
2 paus de canela
1L de água 
gelo q.b.


Ferver água e juntar ao café numa chávena de chá e reserve.
Enquanto o café arrefece, deite para o jarro os restantes ingredientes.
Misture o café no jarro e misture.
Junte o gelo e a água e sirva bem fresco. 


"(…) um gesto que, pelo simbolismo, estabeleça entre o livro e o leitor um primeiro laço de simpatia.
Esse gesto é aqui o título. Mazagran, palavra que outrossim não se encontra no texto, designa uma bebida favorita no Maghreb: um copo grande cheio até mais de um terço com café forte, um volume igual de água gasosa, muito açúcar, uma rodela de limão. Quando o Profeta abranda a sua vigilância junta-se-lhe um cálice de conhaque. Bebe-se quente no Inverno e quase gelada nos dias de calor. A pequenos goles. Com aquela disposição benigna do espírito que umas vezes nos leva à rua para cavaquear com os amigos, e outras nos prende em casa a ler um livro."

Mazagran, de José Rentes de Carvalho

Carpe Diem!!!


terça-feira, 7 de julho de 2015

Gelado de banana e morango light


Mais um gelado delicioso e este pouco calórico.
Adoro bananas mas com este tempo elas ficam maduras num instante.
Mas aproveito as sempre e desta vez foi para fazer este gelado.

Cortei as bananas aos pedaços que coloquei dentro dum saco e dentro do congelador, 
juntamente com uns morangos.


Ingredientes:
6 bananas maduras e congeladas
300g de morangos congelados
2 c. sopa mal medidas de açucar amarelo
4 claras

Preparação:
Triturar as bananas e os morangos congelados na velocidade máxima,
até ficarem reduzidos a puré.
Adicionar o açúcar e envolver bem.
Bater as claras em castelo e juntar ao preparado.
Misturar tudo até ficar homogéneo.

Artigos da loja DeBorla <3


Bons gelados!!!

quarta-feira, 1 de julho de 2015

sandes, sandubas ou sanduíches


Dia um na cozinha e desta vez trazemos sandochas.

A ideia de colocar algum recheio no pão é bem antiga. Antes de Cristo, nos antigos rituais da páscoa judaica, já se fazia uma mistura de pão com alguns tipos de embutidos. Em inúmeras culturas, come-se massa misturada com alguma coisa; o próprio formato do pão é adequado para isto. Apesar do costume ancestral, a fama - e o nome - do sanduíche vieram em 1762, com o inglês John Montagu, 4.º Conde de Sandwich, uma vila da Inglaterra. Conforme o historiador Edward Gibbon, o conde comia fatias de pão com salame para não precisar de interromper as partidas de uíste, jogo de cartas popular entre os britânicos.

Daí em diante, o sanduíche, nas suas mais diversas formas, se popularizou internacionalmente, especialmente em países como Inglaterra, Países Baixos, Alemanha, Itália (bruschetta, tramezzino, panino), Estados Unidos (cachorro-quente, hambúrguer). Os sanduíches beirute, americano, cheeseburger e outros sanduíches ganharam os menus dos snack.bar a partir do século XIX.
Com a Revolução Industrial (séculos 18 e 19), houve popularização dos almoços rápidos para trabalhadores das cidades grandes. Com as jornadas de trabalho cada vez mais extensas, o sanduíche passou a ser uma opção mais prática, apesar de pouco nutritiva.

Desde então, a variedade de sanduíches aumentou. O hambúrguer, a receita mais famosa de todas, popularizou-se nos Estados Unidos no final do século XIX, provavelmente levado por imigrantes alemães, e ganhou o mundo em meados do século XX, com o surgimento das grandes redes mundiais de fast-food. A partir dessa fórmula básica, surgiram variações e o sanduíche ganhou apelidos diferentes, de acordo com o recheio.
Eu recheei as minhas com o que havia no frigorifico. Podemos inventar tanto, em vez de comermos sempre a típica sandes mista,  Eu adoro colocar legumes e são uma ótima sugestão nesta altura em que vamos para a praia ou fazer picnic ou simplesmente para levar para o almoço.


sugestão:
pão de chia
queijo creme de ervas e alho
paio de peru fumado
tomate
pepino
maçã - prefiro a reineta mas não tinha


outra sugestão:
pão com frutos secos
queijo de ervas
presunto fumado
maçã - eu sei, outra vez :D ...... mas eu adoro maçã

e podia fazer muitas mais com outros sabores,
salmão fumado - sim, eu adoro os fumados ;)
atum natural ou fumado :P
e quentes
e derretidos
e molhos diferentes
e outros legumes
e ..... hmmmm cebola frita ...... adorooooo :P

enfim........inventem ;)

Boas sandochas!!!

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Iced Tea de pêssego


As minhas miúdas adoram iced tea, mas eu acho aquilo tão doce....
Assim que vi a receita no blog da minha querida amiga, Maria João, Ponto e Rebuçado, fiquei fã.
Adaptei ao meu gosto e ficou delicioso ;)
Bem geladinho faz as delícias de uma tarde quente de verão.


Ingredientes
50g de açúcar amarelo
3 pêssegos
1 saqueta de chá preto (descafeinado)
1,5 litro de água


Preparação
Lave os pêssegos e corte em metades, retirando o caroço. 
Coloque os pêssegos (com a casca) no copo. 
Adicione a água e o açúcar e programe 15 min/varoma/vel colher. 
Junte a saqueta de chá e deixe repousar mais 5 minutos. 
Coe o chá com um passador e leve ao frio. 
Sirva bem fresco.


O jarro, os copos e as palhinhas são da loja DeBorla, do Sintra Retail Park. 
São lindos não acham??!!!



Bons refrescos!!!

terça-feira, 23 de junho de 2015

Um caril entre amigos


Foi este caril que fiz na II home rave de culinária.
Um encontro entre bloguers amigos, com o mesmo gosto pela culinária, e o prazer de comer.


Entre fotos, conversas e muitas gargalhadas vamos ficando ainda com mais apetite para degustar tantas delícias.


Os aromas dos variados petiscos que se preparam na cozinha unem se, mas distinguem se e abre nos o apetite. Para acompanhar temos uma sangria de manga, que foi das primeiras a preparar.


 Aprendemos uns com os outros, mas acima de tudo há muita diversão.


 Ficamos com água na boca e claro que tivemos de experimentar para retificar os temperos 
e está no ponto :)



O meu linguini já está pronto e o cheirinho é "delicioso".

1 embalagem de camarões congelados
1 cebola picada
5 dentes de alho picados
2 folhas de louro
azeite q.b.
2 c. sopa de caril
1 c. sopa de garam masala
sal q.b.
100g de polpa de tomate
1 lata de leite de coco
1 molho de coentros picados

Faça o refogado com o azeite, a cebola, os alhos, o louro e salteie os camarões.
Junte as especiarias e misture bem. Adicione o tomate e deixe apurar.
Junte o leite de coco e os coentros. Baixe o lume e deixe que todos os sabores se unam e fique bem apurado. Vá mexendo até ficar cremoso.

As quantidades das especiarias podem alterar, conforme o vosso gosto.


Para uma boa massa al dente

Quando a água estiver a ferver acrescente um fio de azeite, sal e a massa.
Tape a panela e desligue o lume ou deixe ficar no mínimo. De vez em quando mexa com um garfo.
Quando a massa estiver cozida coloque no escorredor e passe por agua fria.

Junte ao caril e sirva.


Bom apetite!!!


Carpe Diem!!!

Ponto de Rebuçado
Madame Xicaras
Delicias da Pipas
Dona Delícia
Sweet Gula
Sabores da Filipa
Dona Biscoito

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...